Missões




Dom Wilhelm Berning, bispo de Osnabrück – Alemanha - sempre procurou concretizar o seu lema: “Caritas Cristi urget” (“O amor de Cristo nos impele!”) através de uma vida de amor e solicitude pastoral, marcada pela busca de compreensão e sobretudo por uma grande força decisória. Soube combinar admiravelmente fidelidade à tradição, com o espírito do progresso.

Desde início consagrou especial dedicação à Diáspora, regiões da sua diocese onde experimentou a necessidade espiritual e religiosa dos católicos que naqueles territórios representavam uma minoria insignificante.

Sentiu que necessitava de Irmãs Religiosas que pudessem prestar auxílio aos sacerdotes no atendimento religioso da população.

Pedindo Irmãs em várias Congregações, não encontrou uma resposta positiva. Surgiu-lhe a ideia de fundar uma Congregação religiosa especificamente para as tarefas na Diáspora e nas Missões.

Enquanto planejava concretizar essa ideia, aconteceu algo oportuno: Algumas religiosas da Alemanha que ingressaram, antes da Primeira Guerra Mundial, na Terceira Ordem Regular da Santíssima Virgem para as Missões da Oceania” em Lyon, na França, foram expulsas após a irrupção da guerra por  causa de sua cidadania alemã. Ao voltar a sua terra natal, dirigiram-se a Dom Wilhelm Berning para conseguir o seu retorno a essa Congregação em Lyon. Mas todas as tentativas do bispo foram em vão.

O bispo Dom Wilhelm Berning viu nestes acontecimentos um desígnio de Deus. Ele percebeu o anseio dessas jovens de trabalhar como religiosas pelo Reino de Deus e as acolheu.

Iniciou com elas uma nova Congregação, no dia 25 de março de 1920, dando lhe o nome de “Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria” e imprimindo-lhe um cunho missionário-mariano.  Queria que as suas Irmãs realizassem o apostolado numa atitude mariana e colaborassem na conservação e propagação da fé nos territórios de diáspora e de missões.

Foi um difícil passo para as Irmãs, mas perceberam que era a vontade de Deus.

No dia 24 de março de 1920 as irmãs foram para a primeira Casa-Mãe “Santa Maria” em Meppen, Alemanha, e aí iniciaram o Noviciado no dia 25 de março,  dia da fundação da nova Congregação.

No 28 de maio de 1920  Madre Evarista, uma das irmãs da Divina Providência, iniciou sua missão na nova Congregação como primeira Superiora Geral, a pedido de Dom Wilhelm Berning.

No dia 13 de abril de 1921 as primeiras 6 Irmãs emitiam seus Votos Religiosos.

A  Diáspora do Norte da Alemanha, parte da diocese de Osnabrück, era um campo vasto de missão. Aí, na cidade de Graal-Müritz, foi aberta a primeira filial em 02 de janeiro de 1922. A Missão era preparar crianças para 1ª Comunhão no inverno, lugar de férias para crianças no verão e lugar para retiros e dias de encontro na primavera e no outono.

Na medida que o número de membros na Congregação cresceu foram abertas outras comunidades na imensa diocese de Osnabrück, com a Missão de ajudar nas paróquias: Catequese, visita e cuidado dos doentes e trabalho em jardins de infância. No decorrer dos anos as Irmãs passaram por muitas dificuldades, principalmente no tempo da guerra e pós-guerra, mas a graça de Deus nunca faltou para vencerem as dificuldades.

Em 1951 foi aberta a primeira filial fora da Alemanha, na Suécia, e em 1956  no Brasil.

No dia 12 de julho de 1956, as primeiras seis Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram ao Brasil, na Paróquia São José da Vila Operária em Maringá, a convite dos Padres Jesuítas. Nos primeiros anos as Irmãs enfrentaram vários desafios: Aprender a língua portuguesa, costumes do povo, condições climáticas, alimentares e de moradia, especialmente em termos de comunicação com a Alemanha, pois a distância era muito grande. Mas a vontade de trabalhar e colaborar na expansão do Reino de Deus era grande e assim foram superando as limitações e organizando o trabalho de Pastoral, de Educação e na Enfermagem.

Quando as Irmãs chegaram a Maringá, já havia candidatas aguardando-as para serem Irmãs também. As Irmãs acolheram essas jovens. Uma nova preocupação surgiu: a formação para a Vida Religiosa e o espaço, pois o número das vocações à Vida Religiosa crescia. Cada ano se apresentaram mais candidatas.

Com isso veio a possibilidade de a Congregação se expandir para outras regiões desse imenso Brasil.

Em 1998  foi aberta a primeira filial no Paraguai, na cidade de Pilar.



Em todos essas realidades de missão, as Irmãs procuraram e procuram até hoje, do jeito de Maria, ser presença solidária na vida de tantos irmãos e irmãs que caminham e lutam em busca de um mundo melhor. Dom Wilhelm Berning dizia: “Sede fiéis Missionárias do Santo Nome de Maria.” “A oração é a fonte vital da Vida Religiosa.”  “O que sois, sede-o por inteiro.”


                                    


                          


PROVÍNCIA MARIA MISSIONÁRIA

MISSÃO NO BRASIL

No dia 12 de julho de 1956, as primeiras seis Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram ao Brasil, na Vila Operária, a convite dos padres Jesuítas.

As Irmãs enfrentaram, especialmente nos primeiros tempos, os desafios da missão em vários âmbitos: língua, costumes do povo, o jeito latino de ser Igreja, condições climáticas, alimentares e de moradias. Entre uma experiência e outra, foram superando as limitações e organizando o trabalho Pastoral, de Educação e na área de Enfermagem.
Quando as Irmãs chegaram a Maringá, já havia candidatas aguardando-as para ingressarem no Aspirantado. As Irmãs acolheram essas jovens e a preocupação com a formação foi aumentando, pois o número das vocações à Vida Religiosa crescia. Com isso, veio a necessidade de se expandir para outras regiões desse imenso Brasil.
Atualmente as Irmãs estão presentes nas regiões: do Paraná (Maringá, Campina da Lagoa e Ubiratã), do Mato Grosso (Sinop e Matupá), do Amazonas (Manaus), de São Paulo (Jundiaí - residência episcopal), da Bahia (Itapicuru), do Mato Grosso do Sul (Três Lagos) e do Maranhão (Cândido Mendes).
Procuram, do jeito de Maria, nas diversas realidades, ser presença solidária na vida de tantos irmãos e irmãs que caminham e lutam em busca de um mundo melhor.


MISSÃO NO PARAGUAI

O Paraguai é um país com quase 7 milhões de habitantes segundo o censo de 2018. Apresenta como grandeza singular a hospitalidade de sua gente, sua simplicidade e cordialidade. Uma característica muito própria de seu povo é o bilingüismo, pois falam tanto o “espanhol” quanto o “guarani”, línguas consideradas oficiais no país.

O ponto mais marcante da religiosidade de seu povo é uma profunda devoção a Nossa Senhora. A padroeira do Paraguai é a Virgem de Caacupe, e sua festa é celebrada no dia 8 de dezembro. As músicas do país são o polka e a guarania. As comidas típicas são feitas à base de milho, queijo e carne suína e de gado; também se consome diversos tipos de peixe que abundam em seus rios e arroios.

As Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria estão na cidade de Pilar, próxima da confluência dos rios Paraguai e Paraná desde 15 de agosto de 1998. A paróquia em que realizam seus serviços é a Paróquia Santíssimo Redentor. A partir do ano 2004 os serviços pastorais estenderam-se ás Paróquias Santo Atanásio de Isla Umbú, São Carlos Borromeo de Humaitá e São Patrício de Paso de Pátria.

Com o desejo de colaborar na Evangelização, como discípulas missionárias, as Irmãs marcam presença nos seguintes serviços pastorais:

- Ajudam a preparar as crianças e adolescente para a Primeira Eucaristia e Crisma em todas as Paróquias. Graças ao apoio das Irmãs, desde o ano 2012 se iniciou uma nova modalidade catequese familiar para as crianças da 1ª Eucaristia, que agora tem catequese desenvolvidas pelos próprios pais, eles a sua vez recebem formação dos casais, chamados “casais guias” o que facilita o acompanhamento das crianças, pelos animadores. As Irmãs formam os catequistas e visitam os grupos;

- Buscam promover a vida daqueles que mais necessitam através da visita mensal, levando conforto e dando assistência na medida do possível, por meio de orientação espiritual (oração), ajuda física e psicológica. Assim com esse objetivo de conscientizar sobre a importância dos cuidados com a vida em todos os sentidos, visitam e ajudam mensalmente 20 famílias  mais necessitadas;

- Acompanham os Ministérios instituídos, ministros da Sagrada Comunhão, Leitores, Celebradores da Palavra e Coroinhas;

- Promovem encontros de convivência e acompanhamento das jovens que demonstram interesse em conhecer a vida e missão das Irmãs, permitindo assim uma aproximação com o carisma e espiritualidade. Como fruto desses encontros duas jovens paraguaias após uma experiência interna na Comunidade Virgen Del Pilar, "aspirantado", sentindo-se chamadas à Vida Religiosa Consagrada continuaram o processo de descoberta da própria vocação ingressando  na etapa do postulantado no Brasil, na cidade de Maringá - PR. 

Diante dos desafios desse campo de missão que exige sacrifício, paciência e flexibilidade a presença das Irmãs leva esperança, para a vida das famílias e para a Igreja local.


"Com carinho agradecemos a todos que de uma maneira ou outra, colaboram com a nossa Missão no Paraguai. Que Maria Missionária nos ajude a continuar a Missão do seu Filho Jesus levando Paz, Alegria e Amor aos corações humanos." (Ir. M. Lídia - Comunidade Virgen Del Pilar).



20 ANOS DE PRESENÇA NO PARAGUAI
1998 - 2018





ÁREAS DE ATUAÇÃO DA PROVÍNCIA


ANIMAÇÃO VOCACIONAL

Diante do apelo de Cristo: “A messe é grande mas os operários são poucos (Lc 10,2), é que a Congregação procura, através da Animação Vocacional, despertar na jovem a vocação específica, bem como o nosso Carisma Missionário, no contexto latino-americano, conforme as exigências (Diretrizes) da Igreja.

OBJETIVO: proporcionar às jovens, mediante nosso testemunho missionário mariano, a oportunidade de discernir a própria vocação e fazer uma opção livre e consciente.


PASTORAL PAROQUIAL E DIOCESANA

A constante transformação da sociedade é um desafio para a missão na ação Pastoral e Paroquial e Diocesana.

OBJETIVO: Evangelizar com novo ardor Missionário Mariano, assumindo e vivenciando o carisma fundacional, a partir das diferentes realidades e culturas, testemunhando Jesus Cristo em comunhão com a Igreja.


EDUCAÇÃO

Diante do contexto sócio-histórico em que vivemos, onde predomina a cultura de morte, temos a missão de seguir Jesus Cristo que “veio buscar e salvar o que estava perdido”. Somos convocadas a estarmos a serviço da vida e vivenciar os valores evangélicos a exemplo de Maria.

OBJETIVO: Evangelizar num processo contínuo de libertação, priorizando uma educação de qualidade fundamentada num renovado ardor missionário, conforme as exigências atuais da Igreja, tendo como modelo MARIA.


BEM ESTAR

Não há possibilidade de viver em comunidade sem que haja um ambiente acolhedor. Diante da sociedade moderna que perde cada vez mais o espírito familiar, o nosso lema nos convida a assumir o serviço doméstico para a glória de Deus.

OBJETIVO: Vivenciar e aprofundar nosso Carisma Missionário com atitudes de Maria, promovendo, defendendo e cultivando os valores da vida e a dignidade humana nas diversas situações da diáspora de hoje, a serviço do Reino, desencadeando um processo de transformação.


PASTORAL SOCIAL E SAÚDE

Diante da situação da injustiça, opressão, exploração, ganância, desigualdade, corrupção vividas pelo povo, somos impelidas pelo nosso Carisma fundacional a assumir a nossa missão profética e a procurar os dispersos de hoje.

OBJETIVO: Vivenciar e aprofundar nosso Carisma Missionário com atitudes de Maria, promovendo, defendendo e cultivando os valores da vida e a dignidade humana nas diversas situações da diáspora de hoje a serviço do Reino, oportunizando um processo de transformação.


CENTRO DE ESPIRITUALIDADE

Com a sede do sagrado sentida pelo homem pós moderno, temos a missão de testemunhar os valores evangélicos e anunciar a fé em Jesus Cristo, apresentando-o como nosso libertador, que veio "Procurar e salvar o que estava perdido".

OBJETIVO: Proporcionar às pessoas que buscam formação humana, e sobretudo espiritual, um ambiente acolhedor que possibilite momentos de reflexão, aprofundamento e interiorização dos valores cristãos e conhecimentos gerais.